terça-feira, 26 de maio de 2009

Flavescência Dourada


A DRAPN organiza no próximo dia 2 de Junho uma sessão de esclarecimento sobre a Flavescência Dourada. Decorre a partir das 10:30 nas instalações sitas à Rua Dr. Francisco Duarte.

sexta-feira, 22 de maio de 2009

Reflexão


Eu sei que isto em nada se relaciona com os vinhos mas fiquei a pensar... "se o banco do Estado pensa isto, será que nós podemos ter esperança de um dia receber a reforma para a qual descontamos ?"

quarta-feira, 20 de maio de 2009

O garrafão e o litro


A descida nas vendas não é igual em todos os tipos de vasilhame. Com frequência esquecemos que a Região vende ainda bastante vinho para consumo corrente em garrafão e em garrafa de litro. Ora estes tipos de vasilhame, destinados sobretudo a um mercado regional e de consumo dioméstico diário, não têm o mesmo comportamento que a garrafa 0,75 que hoje suporta largamente as nossas vendas.

E no caso do branco, a descida de vendas não é generalizada mas sim fortemente influenciada, como veremos, por estes vasilhames.

No gráfico de cima comparamos as vendas de Janeiro a Abril destes dois tipos de vasilhame para os dois tipos de vinho, branco e tinto.

O caso do "litro branco" é o mais notório. Em dois anos descemos de 1,7 milhões de litros para pouco mais de 600 mil. Perdemos mais de metade das vendas. Note que não se trata de uma "perda" de vendas directa. Na maior parte dos casos, as empresas que vendiam a garrafa de Vinho Verde passaram a vende-lo na categoria de vinho de mesa, frequentemente com as mesmas marcas. A baixa de venda de Vinho Verde não significa pois necessariamente uma baixa de facturação para estas empresas. O mesmo sucede no garrafão de vinho branco que perde dois terços das vendas.

Já no tinto, a evolução não é tão notória, havendo alguma estabilidade sem duvida fruto da fidelidade do mercado regional ou local.

Algumas observações:

  • estes tipos de vasilhame representam hoje muito pouco no negócio da região. Até abril, a região tinha vendido 12 milhões de liros de vinho branco. Destes, 5% foi garrafa de litro e 3,3% foi garrafão;
  • as novas regras do vinho de mesa e a enorme abertura dos mercados farão com que os vinhos DOC tenham um custo invariavelmente mais alto que os vinhos de mesa. O aumento de custo que levou vários produtores a transferirem as suas marcas para vinho e mesa como meio para não perderem vendas é pois uma questão estrutural - quem quiser estar no negócio do DOC terá ( além do preço ) que ter marcas, distribuição, etc etc;
  • o garrafão é por si um vasilhame ultrapassado. Pesado, feio, convive mal com o arrumo da casa. Está pois a ser substituído pelo bag in box que é o vasilhame com maior crescimento nos índices Nielsen. O problema é que este não se adapta com sucesso aos nossos vinhos.

segunda-feira, 18 de maio de 2009

Gala do V Verde

Sónia Araújo e Jorge Gabriel serão os apresentadores da gala dos Vinhos Verdes a realizar no próximo dia 5 de Junho em Braga. Não é a primeira vez que falam da nossa região, pois no passado verão fizeram um longo directo do Hotel do Reguengo em Melgaço, local lindíssimo, onde se falou do vinho, do turismo e da gastronomia.

O espectáculo, com a duração aproximada de 80 minutos, será transmitido pela RTP para o nosso país e pela RTPi para todo o mundo. A transmissão será no dia 9, véspera de feriado pelas 22:30.

O programa do espectáculo, que está ainda em preparação, contará com dança, vários filmes sobre a região e excelente música. Aqui fica um exemplo: Rita Red Shoes. Clique na imagem para ouvir.



sábado, 16 de maio de 2009

Vendas e stocks em Abril

Cá estão os dados de Abril. O stock está ao nível de 2008 no branco e ligeiramente abaixo no tinto. Noto porém que os dados de Abril vêm corrigir uma tendência anterior. É que o stock de branco estava a descer e, pela primeira vez, manifesta-se estável.
O mapa de vendas revela a manutenção da tendência dos meses anteriores. Estamos a perder vendas no branco e a aumentar ligeiramente nos tintos.

O mapa seguinte permite analisar as vendas mês a mês comparando os dois anos. Como verá, no bramco, estamos abaixo de 2008 em todos os meses, sendo que em fevereiro estivemos lá perto... A discrepância foi porém grande em Janeiro e voltou a se-lo em Abril. Já no tinto, embora sem grande festa, estamos com bons valores em todo o periodo.

Note também que, à medida que entramos no periodo de tempo mais quente, a sazonalidade do branco começa a notar-se claramente.

Vinhos e gastronomia

sexta-feira, 15 de maio de 2009

No dia 5 de Junho estaremos em Braga !


A entrega de prémios do concurso anual de Vinhos Verdes engarrafados decorrerá este ano em Braga no Theatro Circo, uma sala lindíssima com mais de 700 lugares, retratada nestas fotos.

Mais do que uma entrega de prémios, esta cerimónia incluirá música, filmagens e mais animação, com a apresentação profissional de Sónia Araújo e Jorge Gabriel, sendo televisionada integralmente pela RTP e pela RTPi para todo o mundo.

quinta-feira, 14 de maio de 2009

Exportações Janeiro-Fevereiro

Confirma-se que são as exportações que nos estão a ajudar. Os dados do Intrastat relativos a Janeiro e Fevereiro são encorajadores.

Exportamos 770.000 litros, menos 50.000 que em igual período do ano passado, mas curiosamente com um aumento em valor. Em 2008 tínhamos exportado 1,8 milhões de euros e este ano ganhamos 61.000 euros, um aumento ligeiro de 3,4%.


Desculpas de mau pagador ! o tempo corre...

Eu sei que tenho estado em falta. É a correria do dia a dia. São os problemas que bem gostaria de partilhar aqui mas que não devo.

Mas estou a pôr os textos em dia. Já tenho vários para os próximos dias. As vendas e as exportações já de 2009.

É a promessa política da semana !

sexta-feira, 1 de maio de 2009

Artur José de Oliveira e Pinho


Data nascimento: 1926

Distinto Engenheiro Agrónomo, dedicou-se fundamentalmente a dois lemas: Família e Viticultura. Consagrou a sua longa vida profissional de 40 anos à actividade vitícola, e justamente considerado uma referência em viticultura regional, onde alicerçou grande experiência e sólida preparação técnica, bem expressas no seu «Compêndio de Ampelologia» (1993) especialmente dedicado à Região dos Vinhos Verdes. Foi o principal impulsionador da criação de campos experimentais na Região, tendo-se notabilizado também na investigação de trabalhos relacionados com a selecção massal da videira e na sistematização da cultura «em cruzeta». Presidente da Comissão de Viticultura da Região dos Vinhos Verdes de 1975 a 1982.