terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

Ministro no Norte


O Ministro da Agricultura está a visitar as regiões. Há dias reuniu em Bragança com as associações de produtores e similares da região norte. Com ele, os Secretários de Estado, a direcção do IFAP e o Gabinete de Planeamento.

Sala meio cheia, umas 40/50 pessoas. Pousas conhecidas. Muito poucas da nossa região: vi um homem dos Kiwis, a Agros. Só. O resto eram Transmontanos.

Cada associação tomou a palavra. Em nome da CVRVV, mencionei vários dos assuntos que nos preocupam: o Vitis, o acesso ao Cadastro, os pagamentos do Estado em Geral, a taxa de promoção que pagamentos para o IVV, a necesidade de se alterar o Estatuto da região conforme proposta que a CVRVV já enviou ao IVV.

O Ministro anunciou que gostaria que este tipo de reuniões decorresse semestralmente. É uma ideia interessante mas não a conseguirá concretizar: o sufoco dos assuntos do dia a dia vai amarra-lo a Lisboa.

Este modelo de reuniões gerais não me parece ser o mais adequado, e porém não vim mal impressionado:
  • é a segunda vez que estou com o novo Ministro. Parece ser um gestor prático. Não é um conhecedor profundo dos dossiers técnicos mas não deixa de estar atento e recorrer imediatamente aos colegas para se informar; acho que subestima as dificuldades práticas da máquina do Estado mas, se de facto for um bom gestor, dedicar-se-á a resolve-las. Bem precisamos.
  • o Sec de Estado Luís Vieira, sentado ao lado, tomou nota de todas as intervenções e reparei que nos dias seguintes alguns dos assuntos já mostraram sinais de movimento.
Ainda uma observação quanto às associações da região. Só sei de uma outra convidada, a Vercoope, cujo Presidente já tinha estado em reunião com o Ministro e nesse dia não pode ir. Mas, e as restantes ? não foram convidadas ? foram e não apareceram ? porquê ?!

Precisamos de reforçar o peso político da região.