quarta-feira, 27 de maio de 2015

Alvarinho: nova legislação ( cont )

Na sequência do texto de ontem,relativo à publicação da nova legislação para a DO Vinho Verde, foi hoje publicado o texto relativo à Indicação geográfica Minho.

Pode lê-lo clicando aqui.

Fca assim concluído o processo legislativo nacional, faltando apenas uma deliberação do Conselho Geral da CVRVV que será adoptada muito em breve.

terça-feira, 26 de maio de 2015

Alvarinho: nova legislação





Já o escrevi e aqui recordo: o Alvarinho é um assunto tão cheio de emoções à flor da pele, que o melhor contributo que posso dar é o da serenidade, motivo único pelo qual não fui publicando aqui textos sobre o processo de debate desde que ele se iniciou.

E também não o farei agora.

Este texto tem pois uma função meramente informativa. Um dia virá o tempo de publicar os muitos apontamentos sobre este assunto.


Conforme deliberação do Conselho Geral, o Governo está a publicar a legislação que vem alterar o enquadramento legal da produção e rotulagem de Vinho Verde com a menção da casta Alvarinho no rótulo.

Dado que a União Europeia tem um forte poder legislativo nesta matéria, foi necessário ao Governo definir um modelo legislativo que fosse aceitável à luz da legislação comunitária, tanto mais que corria na Comissão Europeia uma queixa apresentada por um produtor da região reclamando a abertura total e imediata.

A legislação será pois repartida em três documentos:

  • acaba de ser publicada a Portaria número 152/2015 de 16 de Maio que vem alterar o regulamento de produção e comércio da DO Vinho Verde; 
  •  dentro de dias será publicado documento equivalente para a Indicação Geográfica Minho; 
  •  algumas matérias que não puderam ser vertidas em legislação, serão propostas para deliberação do Conselho Geral, a qual será vinculativa e reconhecida como tal pelo Ministério da Agricultura. A reunião do Conselho para este fim será convocada dentro de dias.
 Para consultar a Portaria hoje publicada, clique aqui.

quinta-feira, 14 de maio de 2015

Vinho Verde: vendas em Abril


Comecemos então pelo branco, o segmento que representa 85% do negócio da região. Aumentamos 15% dos primeiros quatro meses do ano. Como verá num texto próximo, é um aumento sobretudo na exportação mas também alguma coisa no mercado nacional. São, objectivamente, notícias boas. São óptimas aliás. O problema é que este aumento não é sustentável no tempo. Tenhamos bom senso: não há 15% de stock acima do ano passado. Se começamos o ano de forma excelente, o mais natural é que este aumento se vá diluir gradualmente no segundo semestre e, tudo correndo bem, fecharemos com bons números, certamente acima de 2014 mas bem abaixo deste apetitosos 15%.




As vendas dos segmentos de casta branco estão muito fortes. Este é o caminho certo: estamos a valorizar o produto, reforçando mais  os segmentos de valor, as castas, do que o grosso do pelotão. O aumento dos Alvarinhos, DO e IG é algo que vimos em todo o 2014 e agora se reforça. É curioso que este aumento foi contemporâneo da "polémica Alvarinho". Já o escrevi, no meu entender esta polémica acabou por reforçar a notoriedade do produto e assim o impulsionar comercialmente.

Referência muito forte para o Loureiro. É comercialmente a nossa casta numero um e está a brilhar. Neste quadro vemos a evolução das vendas do monocasta loureiro que é impressionante: mais 31%. Não vemos aqui mas é igualmente impressionante o comportamento dos lotes com Loureiro, seja no Do, seja no IG. O Loureiro está a afirmar-se como um campeão de vendas.

Referência menos boa apenas para o IG Minho, fruto creio de um problema comercial localizado que esperamos ver resolvido. Oportunamente voltaremos a isto.



Por fim, mas não menos importante , o quadro com os vinhos de côr, o tinto e o rosado. O tinto volta a descer. 2014 não correu mal mas o tinto tem um problema de baixa estrutural, que este ano se agrava. Esta evolução ainda é mais clara confrontando o tinto com  rosado, este que é um jovem campeão do Vinho Verde e que parece ainda estar longe de atingir um tecto. Por este caminho, o único tecto é mesmo a disponibilidade de matéria prima.

terça-feira, 12 de maio de 2015

Stocks em Abril

Clique na imagem para aumentar

Sem novidades, o mapa de stocks deste mês, revela a situação que vimos acompanhando e que é de alguma escassez. Nos últimos dias temos registado trânsito de volumes muito baixos o que nos indica que de facto se está a gerir um stock pequeno.

Veja em baixo a decomposição do mapa.


Quer isto dizer que o branco que está nos pequenos produtores não tem significado. Recorde que aqueles 1,5 milhões de litros pode parecer muito mas estão reprtidos por mais de 7.000 produtores, pelo que é um trabalho capilar e económicamente inviável identificar e levantar poucas centenas de litros em cada local.

Invistamos pois em vinha !