quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

Maria Herminia Paes


Quando a região celebrou o centenário da demarcação, em 2008, fizemos uma cerimónia bonita no Castelo de Guimarães com a presença do Ministro da Agricultura e foram atribuídas algumas medalhas de mérito a pessoas que contribuíram de forma excepcional para o desenvolvimento da Região.

A Senhora D. Hermínia Paes foi um destes premiados. Já com uma saúde difícil, foi trazida ao evento no qual participou com alegria. Não voltei a ter o gosto de a ver.

Não é preciso fazer estudos de mercado para determinar que o Palácio da Brejoeira é uma marca admirável, uma referência que se construiu com décadas de consistência em vinhos de qualidade ímpar, Mais, é um exemplo histórico da aplicação na nossa região do conceito de "Chateaux" com uma valorização excepcional dos seus vinhos, Ainda hoje, basta abrir uma carta de um restaurante,

Como já escrevi em textos anteriores, o desaparecimento dos melhores deixa-nos a responsabilidade de conhecer, cumprir e continuar a sua obra.

Maria Hermínia Paes, 97 anos, Dezembro 2015.

segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

Vinho Verde: as vendas até Novembro

Está o ano praticamente feito. Temos sempre um pico de vendas no Natal e é certo que no hemisfério sul é verão, mas as grandes linhas do ano estão determinadas.

As vendas de branco progridem exactamente como se esperava. Começamos o ano em cheio, com vendas mito fortes no primeiro semestre mas depois estas foram-se desvanecendo fruto de um factor que é nosso, a escassez de stock. Certo é que os preços médios foram subindo, compensando esta baixa de vendas. Não publico aqui dados desta valorização, os quais foram divulgados em estudos privados, bem como na habitual sessão da Nielsen organizada pela CAP em Novembro.

Uma referência a esta reunião anual promovida pela CAP e pela APED que conta com apresentações a cago da Nielsen e dos compradores da distribuição. Sempre com a sala cheia mas geralmente com poucos produtores da nossa região.


Clique na imagem para aumentar

No branco, 0,2% não é um crescimento anémico. Pelo contrário, é a venda de tudo o que estava em stock.

O tinto não teve um comportamento tão bom. As vendas estão curtas há vários anos e este ano voltaram a cair. Não é um problema porque o stock também é baixo ( ver texto anterior ) mas estamos a perder negócio. Curiosamente há novidades a aparecer, seja em vinhos inovadores ( Aphros, Soalheiro, Anselmo por exemplo ), seja em vinhos tradicionais com forte capaciade comercial como é o caso do Vinhão de Monção, a sair em breve. Mas serão, uns e outros, capazes de inverter esta tendência ? tenho dúvidas.


Clique na imagem para aumentar

Boas notícias, aliás optimas notícias são as que temos dos segmentos de castas, Alvarinho e Loureiro, ambas crescendo solidamente pelo terceiro ano consecutivo. No final do ano faremos um balanço mais consubstanciado mas claramente são as castas ( e não as sub-regiões ) que estão a constituir o segmento de valor na região.


Clique na imagem para aumentar






segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

Vinho Verde: vindima e stocks a 30/11

A 3 de Out, no fim da vindima, uvas optimas a entrar em Ponte de Lima

Como é habitual, procuro apresentar os dados no Conselho Geral da CVRVV antes de os publicar aqui, motivo único pelo qual o resultado da vindima demorou um pouco a ser publicado.

Tivemos uma vindima com uma qualidade fabulosa. Disse-me alguém nessa altura com um sorriso: "as uvas são tão boas que espero que os enólogos não as estraguem ". Realmente, quem se lembra dos últimos dois anos com as uvas a chegarem às adegas no meio de chuva, e num estado muito aquém do desejado, 2015 marca a diferença.


Fonte CVRVV; valores em litros

O quadro acima traduz as produções dos últimos anos. Na última linha, o aumento percentual. A produção global aumentou este ano 27% face ao ano anterior. Até o tinto aumentou um pouco quando se previa uma descida. Note que as percentagens são diferentes em cada produto.

Em baixo o quadro das existências. Ao contrário do habitual, não considerei três anos mas sim seis, que nos dá uma ideia mais estruturada. Como é habitual, separei o branco e o mosto branco, mas devem ser considerados em conjunto para conhecer a oferta de branco que finalmente chegará às prateleiras.


Diria que temos um stock confortável. Não há um excedente e temos de ter em conta como será a próxima vindima mas finalmente saímos da situação de escassez que nos levou à vindima. Neste contexto, não se justificam ( digo eu ) grandes variações na cotação do granel. Como verá no artigo seguinte, as vendas estão sólidas, precisamos deste vinho.

sexta-feira, 4 de dezembro de 2015

Vinho Verde no ar !

Na prova internacional 24 horas de fronteira, havia concorrentes que partiam para a frente e outros que partiam para cima !