terça-feira, 17 de maio de 2016

Casta Azal, grande vencedora em concurso nacional de vinhos

Foto: Magnum Wine Club

Ao contrário do que é habitual, não pude estar na passada sexta-feira na entrega de prémios do concurso nacional de vinhos, promovido pela Viniportugal. Foi um sucesso, no cenário fabuloso do Bussaco. Como é natural, fui sabendo pela internet dos premiados, que felicito.

Destaco aqui, pela surpresa e pela satisfação que me dá, o prémio "Melhor Varietal Branco do ano" atribuído ao Quinta de Linhares Azal 2015.

Por todas as razões. O Enólogo, António Sousa, é em exemplo de trabalho e descrição com a sabedoria de fazer amigos onde quer que esteja e de saber apresentar grande vinhos.  A administradora da firma, Ana Ribeiro é uma lutadora que tem trabalhado sem cessar para criar valor nesta empresa e numa outra que tem no Douro. A qualidade do trabalho aqui feito foi premiada repetidamente nas ultimas semanas, não apenas neste concurso nem neste vinho.

E pelo Azal.

O Azal foi durante muito tempo uma casta maldita. Uma casta que produzia vinhos... verdes. Lembro-me de, nos anos 90, ir a uma assembleia da Cooperativa de Felgueiras na qual um sócio reclamava por ter um Azal de 6 graus que a adega não valorizava. Era assim muito do azal. De tal modo que as reconversões de vinha foram sendo feitas para outras castas, o loureiro, a trajadura, o alvarinho, até o fernão pires. Fugia-se do azal.

Porém, ao longo da última década tanta coisa vem mudando. Hoje temos 860 hectares de azal cadastrado ( é a sexta casta com maior área cadastrada ), o que não é enorme mas é interessante pois este azal cadastrado é sobretudo proveniente de novas vinhas. Haverá, no vale do Sousa, muito mais azal não cadastrado , em vinhas tradicionais, que aparece sobretudo nos lotes de branco.

Estas novas vinhas de azal começam a produzir excelentes vinhos. O acto de este ter sido o varietal branco do ano em Portugal, sendo uma surpresa, é também um incentivo.

A nossa região optou muito claramente por desenvolver os vinhos entro daquilo que são as nossas castas tradicionais. O loureiro ( 3.000 hectares ) e o arinto ( 2.000 hectares ) são as que oferecem maior potencial de produção neste momento, mas o azal e várias outras podem bem contribuir para a diversidade, para o valor e para a personalidade única dos vinhos que queremos que sejam o Vinho Verde do futuro.



segunda-feira, 9 de maio de 2016

Stocks e vendas em Abril

Clique na imagem para aumentar

Vamos analisar os mapas relativos a Abril que acabam de ser publicados.

O stock de branco mantém-se confortável. A ver vamos como será a vindima. Ainda é cedo mas pelo menos já passamos o período pior do risco de geada. Nada a apontar aos restantes, vamos aguardar pelas primeiras previsões de colheita daqui a um mês.

Clique na imagem para aumentar

O mapa de brancos é interessante. Começamos o ano abaixo de 2015 ( ver artigos anteriores ), a meteorologia também não ajudou mas no acumulado de Abril já passamos a linha de água.

Clique na imagem para aumentar

O mapa de tintos e rosados mantém a tendência de meses anteriores. Mais 1, 2 anos e estamos a vender mais rosado que tinto. Note porém que o rosado não "são favas contadas". É um produto muito sazonal, mais que o branco, e cujo crescimento tem vindo a abrandar um pouco.


No mapa de "outros brancos" que reflecte os segmentos de castas, muito interessante o comportamento do Alvarinho DO que mantém o crescimento demonstrado desde que em 2013 se iniciou o debate Alvarinho. Porque nenhum outro fenómeno e relevo se registou, parece-me claro e muito positivo que este debate contribuiu afinal para aumentar a notoriedade da casta. E ainda bem !

O Loureiro tem-se mantido pouco activo este ano mas recordo que vimos de um crescimento elevadíssimo nos últimos dois anos.

quinta-feira, 5 de maio de 2016

Novas normas de rotulagem

O Conselho Geral da CVRVV aprovou novas normas de rotulagem que vão facilitar o negócio e vêm ao encontro do pedido pelas empresas. Tome nota:


  • possibilidade de utilização das menções "ligeiro" e "baixo grau";
  • possibilidade do uso do designativo de qualidade "premium;
  • novo regime relativo às castas. Todas as castas aptas à produção de DO Vinho Verde passam a poder ser mencionadas com destaque na rotulagem.

terça-feira, 3 de maio de 2016

Mário Saraiva Pinto


Andava há que tempo a tentar agendar um almoço com o Mário, íamos trocando mensagens em busca de uma data comum. Fiquei chocado com a notícia da sua partida. Fui ler o seu facebook em busca da sua memória. As preocupações, as anedotas, os desabafos. Um Mário sempre presente. Que nos deixa saudade.

O Vinho Verde deve-lhe muito.

segunda-feira, 2 de maio de 2016

Conheça os melhores Vinhos Verdes

O Palácio da Bolsa no Porto acolheu 400 convidados que
conheceram em primeira mão  os melhores Vinhos Verdes

Deve ser das perguntas que me fazem com mais frequência: quais são os melhores Vinhos Verdes ?

O concurso anual "Os melhores Verdes" é a ajuda certa para conhecer novos e melhores Vinhos Verdes. Mais de 200 vinhos estão a concurso e são provados por um painel de especialistas.

Ora aqui fica o resultado do painel nacional, as medalhas de ouro em cada categoria:



Clique em cada marca para aceder à página do produtor, que lhe indicará onde pode comprar esse vinho. Aproveite para visitar o produtor, conhecer a adega e comprar-lhe o vinho directamente !

Sala cheia no Palácio da Bolsa

Convidado de honra o Embaixador do Japão
Hiroshi Azuma

Presidindo à cerimónia o SE da Agricultura
Luís Medeiros Vieira