terça-feira, 26 de julho de 2016

Vendas em Junho: a surpresa do rosado !

Clique na imagem para aumentar

Começamos mesmo pela surpresa: o rosado igualou as vendas do tinto. Não é em Junho o efeito sazonal, é o acumulado desde Janeiro. Creio que a ideia geral é que este resultado ainda tardaria algum tempo. Mas aqui está, preto no branco: estamos a vender tanto rosado como tinto.

Clique na imagem para aumentar

O mercado de banco continua a crescer de forma sustentada. O início do ano foi menos expressivo mas no segundo trimestre corrigiu e já estamos acima de 2015. É certo que o mercado externo tem aqui uma forte expressão, não esquecer que no branco, a exportação representa 50% das vendas,

Clique na imagem para aumentar

As principais castas mantém a tendência de crescimento mito forte que já vimos sentindo desde 2014. Não se incluem aqui os lotes "Loureiro-Alvarinho" e "Trajadura-Alvarinho" os quais se encontram diluídos no mapa de brancos mas certamente têm o mesmo comportamento de crescimento das castas individuais.

É pois um fecho de semestre com boas notícias: crescemos no branco e sobretudo as castas, pelo que aumentamos volume e sobretudo valor. Continuamos com um forte crescimento no rosado. Do tinto, repito as reflexões anteriores. Precisamos de re-focar o produto. Hoje temos vários tintos, sem um fio condutor e por isso impossíveis de comunicar ao cliente.

domingo, 24 de julho de 2016

Vinho Verde Wine Fest 2016: quatro dias ao rubro !

Acaba de fechar o Vinho Verde Wine Fest 2016. O O pôr do sol foi fabuloso como tem sido nos últimos dias. A equipa, dezenas de colegas da CVRVV e da Offe, balança entre o "exausto" e o sentimento de missão cumprida. Na próxima semana faremos, calmamente, a avaliação deste evento único. Para já, e para recordação, algumas fotos.

O panorama às 19 horas de hoje. Será mesmo hora de fechar ?

100 AUTOMÓVEIS CLÁSSICOS ?
                              não havia parque para mais !

Domingo de manhã, um calor abrasador deste as primeiras horas. Com o apoio da revista Topos & Clássicos e do seu director Hugo Reis reunimos um centro de automóveis clássicos que vieram comemorar os 15 anos da revista e com isso encheram o parque da Alfândega.

O encontro de clássicos, com o apoio da Topos & Classicos abriu o evento no domingo

Encontro de clássicos, um lindíssimo MG
O PROGRAMA FAMÍLIAS

No sábado ao almoço convidamos as famílias a visitarem o Wine Fest. Para as acolher preparamos um programa especial para os mais novos: atelier de chocolate, frutos e plantação de vinhas !

Chocolate !

e mais chocolate !

Jovens atentos e pais relaxados !

Ana Colaço ( RFM ) entrevista um jovem agricultor

CURSOS DE PROVA, HARMONIZAÇÕES E WORKSHOPS

Ao longo dos quatro dias, um conjunto de salas ofereciam cursos de prova de vinhos, workshops de culinária e harmonizações. Cera de 700 formandos passaram por esta actividade.

Júlio Magalhães, José Silva e Marco Gomes, as estrelas da inauguração





WINE FEST BY NIGHT !

Se de dia tivemos um calor abrasador que levava os visitantes a fazerem grupos na sobre, as noites estavam quentes, deliciosas a convdar provas sem limite de horas. Sexta e sábado fizemos provas e dançamos ao som da RFM pela nite dentro. Um pouco por todo o lado, grupos sentados no chão , frente ao rio, em redor de boas provas e melhores conversas.

Uma da manhã: fila de espera no bar de cocktails

Grupos que começavam a danças espontaneamente ao som da RFM


RFM: SÓ GRANDES MÚSICAS !

A RFM animou o espaço do primeiro a último minuto. A Ana Colaço foi a cara de uma vasta equipa no Porto e Lisboa que garantiu granes músicas, entrevistas e o acompanhamento integral do programa no estúdio montado bem no centro do Wine Fest.


A voz da RFM no Wine Fest foi a Ana Colaço

Ana Vasconcelos, RFM com Carlos Teixeira, Quinta da Lixa.

O estúdio local da RFM animou o programa com música,
entrevistas  reportagens nas actividades.
VINHOS, VINHOS VINHOS
( fotos Offe )







VINHO E GASTRONOMIA

A ligação vinho-gastronomia foi central em toda a programação do evento. O vinho é um produto de cultura que se liga com o nosso dia a dia. Descobrir as melhores harmonização e é valorizar o vinho, a gastronomia e o nosso prazer na vida.

Anselmo Mendes

Loureiro - Ponte de Lima

Casta Avesso, Portal das Hortas

Valados de Melgaço, estreante no Wine Fest
PARA O ANO HÁ MAIS

Muito obrigado à enorme equipa, incansável e exemplar que tornou possível Vinho Verde Wine Fest 2016. Muito obrigado a todos os que visitaram o evento. Cada visitante fez com que este enorme trabalho valesse a pena. Durante quatro dias, o Porto foi a capital do Vinho Verde. Para o ano há mais !



Fotos de Bruno Almeida e Sofia Figueiras.

quinta-feira, 21 de julho de 2016

Vinho Verde Wine Fest 2016 abre hoje |

Vão ser quatro dias em cheio na Alfândega do porto, com a meteorologia a ajudar e mais de 150 vinhos em prova. Ao longo de quatro dias, o Vinho Verde Wine Fest vai juntar Vinho Verde e gastronomia numa festa com o cenário fabuloso do rio Douro e da Ribeira do Porto.

Horários:

  • quinta-feira, 17-24
  • sexta feira, 17-02
  • sábado 12-02
  • domingo 12-19







terça-feira, 12 de julho de 2016

O Vitis nos Vinhos Verdes

Muito interessantes alguns dados sobre o Vitis na nossa região, que consultei e aqui partilho com alguns apontamentos. Em cima, no gráfico, a área reconvertida a cada ano, em hectares, Vimos em crescendo, sendo que a candidatura de 2015, acima de mil hectares, foi a maior do período.

Neste período de sete anos, estamos a reconverter 813 hectares/ano. É um bom número. Para aferir a área de vinha da região, temos dois métodos: a área cadastrada ou a área indicada nas DCP's. A segunda, necessariamente bem inferior à primeira, é mais fiável. Contemos pois com 15.800 hectares de vinha mencionados nas DCP's do ano passado. Sendo assim, os 813 significam que estamos a reconverter 5% ao ano, ou seja, renovamos a vinha em 20 anos.

É um número que nos deve confortar e que sublinha a ideia que tenho cada vez mais de que a crise da nossa viticultura já passou o momento pior e de que precisamos é de perseverar na constante valorização da uva e do apoio com o objectivo de melhorar as produtividades. Mas claramente a nossa viticultura está no rumo certo.

A região recebeu um apoio ligeiramente superior a 55 milhões de euros, sendo que o apoio médio é de 9,8 mil euros por hectare.

Estou convencido, mas isso seria outra conversa, é que se não fosse este apoio, teríamos uma baixíssima taxa de reconversão e estaríamos confrontados com um monumental problema de aprovisionamento. Aproveitemos pois - intensamente - o Vitis enquanto existe sem nos iludirmos que ele se manterá com esta simplicidade e generosidade para sempre.

Por fim um dado curioso: a nossa área média de candidatura e de 1,18 hectares.  Note, não quer dizer que cada produtor explore 1,18 hectares mas sim a área média da reconversão, sendo certo que a esmagadora maioria dos candidatos têm outras vinhas em simultâneo e estão a reconverter uma parte em cada candidatura. Isto preocupa-me porém pois há no sector a ideia de que as candidaturas futuras devem privilegiar as maiores áreas, por exemplo áreas acima de 3 hectares, Ora no mapa nacional só duas regiões, o Alentejo e Setúbal, têm áreas médias de candidatura acima dos 3 hectares. Diria pois que a haver algum objectivo de política pública, este deve se o de favorecer o aumento da área médias da exploração para valores que assegurem alguma viabilidade e não concentrar os apoios em algumas candidaturas que manifestamente já têm mais do que essa dimensão assegurada.

domingo, 10 de julho de 2016

A Casa do Vinho Verde no Porto Canal

Excelente documentário sobre Silva Monteiro e caracterização da sua casa que é hoje a sede da CVRVV. Vale a pena ver.


 

sábado, 2 de julho de 2016

Viticultura inovadora

Tive ontem a feliz oportunidade de visitar uma vinha com um ano. Doze meses de plantação com enxerto pronto. As fotos revelam uma realidade admirável. Loureiro. Deixo para o/a leitor reflectir.